TRABALHO INFANTIL 2
Mude essa realidade

O trabalho infantil furta sonhos

0 63

Se você chegou até aqui é porque realmente se importa com o futuro de nossas crianças e também deseja fazer algo para mudar essa realidade que vivemos em nossos dias atuais.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), no Brasil, 6,2% das crianças e dos adolescentes de 5 a 17 anos exercem trabalho infantil doméstico ou remunerado. Na faixa de 5 a 9 anos, em que trabalhar é ilegal, 3% (425 mil) trabalham.

Os riscos e consequências enfrentados por estes menores são graves e acontecem de diversas formas. O afastamento da escola é o mais comum, uma vez que o acúmulo de funções acaba por desestimular à educação, chegando à evasão escolar.

Lugar de criança é na escola! E uma boa ferramenta para ser trabalhada com as crianças é o turno inverso, onde as escolas tem como propósito desenvolver ainda mais as capacidades cognitivas e sociais dos alunos por meio do auxílio das atividades escolares. O convívio e a socialização entre as crianças fortalecem o sentimento de ajuda e solidariedade, tão importantes para a formação de um cidadão melhor.

Por isso, vimos compartilhar contigo uma das soluções que existem e que você pode incentivar, sem precisar tirar um centavo do seu bolso.  Trata-se do Projeto Fábrica de Sonhos, que pretende transformar futuros de jovens de zonas de risco social, através da arte da música clássica. O projeto visa oportunizar de forma gratuita oficinas de instrumentos de cordas e prática de orquestra, visando à formação destes jovens em músicos. Para esse resultado acontecer é preciso comprar os instrumentos, contratar os professores e tudo isso está previsto neste belo projeto cultural, que é possibilitado pelo direcionamento do seu Imposto de Renda, via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Para conhecer mais sobre o projeto Fábrica de Sonhos e outras informações deixe seu e-mail aqui.

CompartilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0

About the author / 

admin

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *